Seleção Brasileira

Esse é meu segundo post sobre a seleção brasileira.

O primeiro, chamado “Para quem (assim como eu) critica a seleção brasileira” compara as seleções recentes (anos 80 até hoje) às do passado (anos 10 e 20).

Hoje, minutos após assistir à semi-final da Copa das Confederações 2009, sinto me na obrigação de escrever um novo post e além de renovar a minha crítica.

Seria superficial criticar apenas o técnico Dunga.

Até porque aquele Dunga jogador, grossão, perna de pau, que não só incentivava, como cobrava o time inteiro, foi abduzido por alienígenas.

Com aquele Dunga, essas estrelinhas não teriam vez.

dunga raçudo

Esse Dunga que colocaram no lugar tem cara de “obediente”.

E, sem reclamar segue comandando um time apático, ruim tecnicamente, sem força de conjunto, sem brio, sem raça, formado por atletas que parecem não ter nada a perder ou a ganhar com o jogo.

Um time que perdeu a identificação com aquele torcedor que gosta de futebol. Hoje, quem consegue torcer para a seleção é aquele tipo de torcedor que não está acostumado a torcer pra um clube. Ele xinga quando perde e aplaude quando ganha.

vai ou fica

Será que um dia alguém vai confessar o que acontece de verdade? As convulsões do Ronaldo, a estranha eliminação da última Copa, a apatia irritante num jogo como o de hoje, enfim… Nada disso faze sentido nem lógica pra mim…

Como aquele Robinho do Santos pode ter se transformado num jogador tão normal, tão chato, que só olha pra ele mesmo?

Robinho

Como deixamos um “playboy” metido a galã, alimentado com farinha láctea e que na primeira dificuldade se esconde ser a referência do time?

kaka pede pra kaga

Aliás, a torcida do São Paulo o “escurraçou” do clube por isso. Muitos jornalistas dizem: “A torcida do São Paulo foi burra, fez o time perder dinheiro.”

Mas ninguém aguenta um cara assim no clube que torce.

Aliás, é por isso que ninguém fica mais tão irritado com o Brasil, no fundo, ninguém mais torce nem se identifica com o tipo de futebol que essa seleção joga há tempos (exceto no período Felipão, o último cara de verdade que pisou no solo da CBF).

 felipao

O pior é não ter uma resposta. Olhando pelo lado mercantilista, eu vejo uma marca ser queimada.

Do lado romântico, eu vejo o fim dos tempos. O que mais pode acontecer?

Acreditem, o brasileiro está deixando de gostar de futebol e isso é irreversível. As gerações atuais já dedicam muitíssimo mais tempo a games, orkut, msn e à música da última moda, do que ao futebol.

Não se trata de ganhar, não se trata de jogar bonito… Se trata de envolver quem assiste, quem acompanha, quem faz parte…

As más fases de times como o Palmeiras e Corinthians fizeram aumentar o envolvimento torcida/clube mesmo com os times na 2a divisão. Por que? Porque havia o algo mais.

O jogo de hoje só segurou o torcedor até o fim porque ainda valia vaga na final.

Golzinho chato...

Golzinho chato...

O gol foi triste. Foi decepcionante. Na sala, eu e meu pai ficamos como se fosse um gol contra nosso time. “Agora o Dunga é gênio”…

Não é possível que a mídia, a CBF, o Dunga e os jogadores não percebam que estão matando o espetáculo. O suspense acabou, a emoção se foi… O final foi previsível, o Brasil ganhou, o jogo foi chato, sem graça, mal jogado… 

Mas… Antes que eu seja chamado de extremo pessimista, ou que digam que é fácil criticar e não sugerir uma solução, quero dizer que pra mim, existe uma saída. Meio maluca, mas existe.

É transformar a seleção brasileira no maior clube do mundo.

Um clube que não disputa só Copa do Mundo e etc, mas um time que vai ficar constantemente em tour pelo mundo desafiando os melhores clubes e seleções em suas casas.

Um time que vai jogar contra o campeão brasileiro da série A, B, C e D, porque além de bom, esse time precisa entender o inferno que é disputar uma competição dessas, conhecer esses estádios que não abrigarão jogos da Copa do Mundo, mas abrigam os corações dos torcedores dos clubes menores.

Um time que vai gerar renda de verdade, que não vaio precisar se vender para outras marcas.

Um time que vai ter tempo de treinar, e que vai trazer de volta o amor ao futebol, porque será um time feito para ganhar e jogar bem.

É mais ou menos como a história de Rocky VI, o campeão só será realmente valorizado quando mostrar energia, quando mostrar que tem coração.

Por hora, essa seleção me dá é nojo…

Anúncios