Sumaré 2×3 Elosport (Série B do Paulistão)

Fim de semana no interior, e após rever a família da Mari, em Cosmópolis, aproveitamos o sábado de sol, para dar um pulinho em Sumaré, cidade quase vizinha, para acompanhar uma tarde de Campeonato Paulista Série B.

Pegamos a Anhanguera e rapidinho estávamos chegando em Sumaré! 

O Estádio Municipal Vereador José Pereira nos brindava com o jogo “Sumaré x Elosport“, pela 5a rodada, do grupo 4.

O Estádio tem acesso dos dois lados do campo, é um daqueles modelos antigos, bem abertos. Dá pra se acompanhar o jogo de onde quiser.

O público compareceu em pequeno número, uma triste característica da segunda divisão paulista (essa divisão pode ser chamada de série B ou segunda divisão).

Aliás, existe uma comunidade do time no orkut, quem quiser participar: http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=98543036

O sol dificultava o trabalho do treinador do Elosport, que gritava o tempo todo com seus atletas, na beira do campo, estilo Muricy Ramalho.

Pra quem acha que é moleza escrever o blog, até o ingresso a gente paga!

Acolhida na arquibancada, a pequena mas marrenta torcida do Sumaré gritava com seus jogadores e pegava no pé do juiz!

Uma pena que a população de Sumaré ainda não acordou pra incentivar o time com a força que ele merece, independente dos resultados…

O pessoal do Elosport trouxe até narrador ao campo!

Pequeno, mas bem cuidado, o Estádio Vereador José Pereira tem o seu charme!

O jogo foi apenas regular, com muitos passes errados. As melhores chances sairam de bolas paradas.

Mas, para os apaixonados pelo time, jogando bem ou jogando mal, o importante é estar presente nas sagradas arquibancadas…

O mesmo vale para mim. É sempre um orgulho e muita emoção poder participar da história destes clubes, mesmo que seja como um torcedor a mais numa partida.

 O uniforme do Sumaré é de uma cor bastante diferente, um amarelo, quase dourado!

Ah, chamou minha atenção a presença de torcedores da chamada “melhor idade”. Fico me perguntando se essa nova geração vai deixar morrer o amor pelo futebol…

O primeiro tempo virou empatado em 1×1.

No intervalo pude batrer um papo com a atual diretoria do Elosport, que segue lutando contra todos os obstáculos para manter o time. Disseram que a média de público em Capão Bonito chega a quase 1.000 pessoas por jogo. Fica aqui o compromisso de ir até lá assistir um jogo!

Nem bem começou o 2o tempo e o Sumaré abriu vantagem num penalty:

Entretanto, para a tristeza dos torcerdores locais, o Elosport teve forças para virar o jogo em 3×2, e sair de Sumaré com mais 3 pontos.

De qualquer forma, fica mais uma partida da Segunda Divisão, registrada aqui no blog As mil Camisas!

E fica registrado mais um estádio, mesmo que não se possa bater bola, caminhar ou correr no gramado, ou mesmo andar de bike na pista, quanto mais passear com seu totó, por ali…

Apoie o time de sua cidade!

Em busca do Estádio Perdido em Brasília…

É legal quando fuçando no meio de suas coisas antigas, você encontra fotos que te deixam orgulhoso do seu passado! 

Foi o que aconteceu semana passada, quando tentando livrar minha mãe de um caixote meu, que lembra o baú do Raul, encontrei meia dúzia de fotos de quando fui tocar em Brasília com minha banda, o TERCERA CLASSE

Uma viagem muito legal, que ficou gravada na nossa memória, mas na minha cabeça, tudo tinha girado tão somente em torno do Punk e tal, e não é que eu fui espertinho o suficiente pra registrar um rolê boleiro, em busca de um Estádio Perdido?
 

O Estádio Mané Garrincha foi inaugurado em 1974 e pertence ao Departamento de Esportes, Educação Física e Recreação do Distrito Federal. 

Uma homenagem, ainda em vida, para o jogador Mané Garrincha, porém, na época tinha 40 anos e, não estando em forma física ideal, não pôde atuar no estádio que leva o seu nome. 

Abaixo, numa foto com uma máquina beeeem tranqueira, Gustavo (hoje morando na Asutrália), eu (sigo no ABC) e o meu irmão Marcel (morando em Florianópolis): 

 

O Estádio foi usado como palco de alguns shows memoráveis, o primeiro deles em 1988, com a Legião Urbana, que ficou marcado como um dos mais polêmicos da banda, graças às várias tretas na platéia e às bombas caseiras lançadas no palco, o que culminou no fim do show. Centenas de jovens foram hospitalizados e os sobreviventes decidiram queimar em público os discos da Legião Urbana. Depois disso, a banda nunca mais se apresentou em Brasília, sua cidade natal. 

Foi lá também o último show dos Mamonas Assassinas. Após aquele show, eles pegaram o avião que se chocou contra a Serra da Cantareira, vitimando toda a banda. 

 

Mas em se falando de futebol, o Mané Garrincha é o principal Estádio do Destirto Federal e abrigou vários jogos do Gama e do Brasiliense. 

O estádio atualmente pode receber até 42.200 torcedores, mas já recebeu 51 mil pessoas, no jogo Gama x Londrina, em 1998. 

Para a Copa de 2014, planeja-se realizar as partidas sediadas em Brasília, para isso foi preparado um projeto de reforma, que irá durar três anos. 

Após as adaptações, a capacidade seria ampliada para 76.232 espectadores. 

 

Abraços!

Seguimos pelas canchas…. (aliás, em meia hora estamos indo pro Pacaembú ver a final…)