Rolê boleiro em Buenos Aires parte 7 – All Boys!

Aproveitando o tão sonhado acesso do All Boys (veja mais aqui), falarei sobre como foi meu reencontro com o querido time do Bairro Floresta!

Recordando… No último post, estávamos nós, os 4 patetas, em pleno Monumental de Nuñez, visitando o estádio.

Agora, havia chegado o final de semana e era hora de assistir a uma partida em La B, a segunda divisão do futebol argentino… Vamos nessa??

Nem bem chegamos e já vimos a festa feita pelos Albos! O bairro parou para o jogo!

O Estádio fica no coração de Floresta, um bairro que fica há 1 hora (de ônibus) do centro de BsAs.

Seu nome é Islas Malvinas e é cheio de grafites.

Recentemente passou por uma ampliação ganhando mais 10 mil lugares.

Assim, apresenta arquibancadas em todos os lados do campo.

Olhando desse ângulo (estamos atrás do gol), do lado direito ficam as barras do time, no lado esquerdo e onde estamos os “torcedores comuns” e atrás do outro gol, o pessoal da imprensa que veio cobrir o jogo.

Esse é um estádio especial, pois foi a primeira cancha argentina que conheci pessoalmente!

A Mari também gosta, porque Floresta é um bairro com uma cara de interior, lembrando até Cosmópolis! 

Por coincidência, encontramos os amigos da banda “Tango 14” nas bancadas!

A barra “Peste blanca” além de muito barulho, também faz uma bonita festa visual, com trapos, faixas e centenas de bobinas de papel que são lançadas na entrada do time, em campo.

E os torcedores locais também participam da festa com seus trapos e cantos!

E mais uma vez, ficamos felizes em poder participar da história do futebol. Principalmente porque mesmo perdendo a partida por 1×0, o All Boys viria a subir para a primeira divisão.

Ah, um detalhe que merece explicação a parte. Na segunda divisão argentina, não é permitida a presença da torcida visitante. Assim, os torcedores mais malucos simplesmente ocupam (com vistas grossas de ambas diretorias) a parte que seria reservada à imprensa.

Assim, essa galera ali atrás do gol não é jornalista, nem nada, mas torcedores do Belgrano.

Como quase todas as torcidas fazem isso, geralmente não ocorrem maiores problemas de violência com essa galera. Aliás, mesmo com a derrota, a festa imperou pelo estádio naquela tarde de fevereiro.

Até os metaleiros do bairro compareceram!

Ah, como pode um jogo ser tão importante? O futebol une o bairro, a família…

Mesmo que em campo o jogo seja pegado!

Uma partida dessa oferece momentos eternamente guardados em nossas memórias. Mais do que ataques e defesas…

E quanta gente, hein?…

Já estávamos no fim de nossa temporada argentina, e no intervalo até sentamos um pouco pra descansar…

Ao fundo, uma singela homenagem da torcida a Pato Sgarra, torcedor símbolo do time, que faleceu em fevereiro de 2009.

Falando um pouco sobre o jogo, o All Boys esteve numa tarde inspirada, mas com más finalizações.

Foram várias chances perdidas.

E pra quem acha que é fácil jogar como visitante nos estádios portenhos…

Outra coisa que me agrada é estar ali próximo ao goleiro e ídolo Nicolas! O cara é gente boa e lembra aqueles jogadores antigos.

O jogo foi chegando ao fim e certa tristeza nos bateu. Eram os últimos dias em Buenos Aires e mais do que isso, muitos dias, semanas, meses até voltarmos a Floresta…

Mas, como diria o poeta…

Yo volverei a las calles…

Sei que mi barrio esperará…

Apoie o time da sua cidade!

Apoie o time do seu bairro!

Anúncios

All Boys en la Primera!!!

Sou um fã do futebol argentino, como um todo, mas não nego que existe uma equipe que tenho um carinho especial.

Trata-se do All Boys. É o time que mais vezes vi jogar, que mais vezes fui a cancha, enfim…

E depois de um ano de muita batalha, o Albo está de volta à primeira divisão argentina…

Seja mais que bem vindo, La Peste Blanca!

Chega de cantar… “Como me gustaria estar en la primera…”

Acá estamos, Floresta!!

Published in: on 26 de maio de 2010 at 8:39 AM  Comments (2)  
Tags: , , ,

60- Camisa do All Boys

abril-1891

A 60a camisa do blog pertence a um time que eu gosto muito, e que só conheci nos anos 90. Trata-se do Club Atletico All Boys, da Argentina.

E tenho logo duas camisas deles.

Uma é essa aí em cima, que me foi dada de presente por “Mr George”, um baixista da cena punk argentina, que esteve aqui pelo Brasil tocando com o “Muerte Lenta“, nos anos 90.

Foi ele quem me apresentou o time (ele era um hincha fanático). Alguns anos depois, tive a oportunidade de ir até Buenos Aires (minha primeira visita à capital) e por coincidência fiquei  no bairro de Floresta. Aí… o All Boys acabou virando o time que eu mais gosto na Argentina.

A outra camisa (abaixo), eu comprei nas proximidades do estádio, no dia em que eu, Mari, Gui, Jão e tia Janice fomos assistir ao jogo All Boys x Comunicaciones.

abril-195

Não só não é oficial, como é apenas uma regata de 15 pesos, para se ir a La Cancha! Com o apelido do time nas costas. “Los Albos”!

abril-197

Falando da história do time, o Club Atlético All Boys ou “Los Albos” foi fundado em 15 de março de 1913, e é sediado no bairro Floresta, na cidade de Buenos Aires. Suas cores são branco e preto.

Esse vídeo conta um pouco sobre a história do clube:

O nome do time foi dado devido à juventude dos fundadores, e seguiu a curiosa tradição de dar nomes em inglês para os times portenhos.

Vicente Cincotta, ex atleta de equipes como Ferrocarril Oeste, Boca Juniors e Argentino de Quilmes foi o primeiro presidente e sócio número 1 do clube.

Ainda em 1913, disputou seu primeiro torneio, na terceira divisão da “Federación Argentina de Football“, e em 1922, chegou à Primeira Divisão.

O que representa a chegada do profissionalismo ao futebol argentino é o surgimento da AFA (Asociación del Fútbol Argentino) que aconteceu em 1931, mas o All Boys seguiu no amadorismo até 1937.

O time teve seu período dourado na década de 70, quando em 1972, chegou à Primeira A, onde permaneceu até 1980. Abaixo, o time de 72:

Na temporada 1992-1993 mais um exito, o acesso a Série B Nacional.

Na temprada 1999-2000, quase voltou a Primeira A.  Desde então vinha fazendo temporadas apenas regulares caindo para a Segunda B, até que em 2007-2008 conquistou mais uma vez o acesso à Primeira B

Relembre essas conquistas:

O acesso conquistados na temporada 2007/08 é o mais recente e foi bastante comemorado, já que o clube vinha de um longo período sem conquistas. A torcida foi a loucura e parou o bairro Floresta:

Manda seus Estádio Islas Malvinas, estádio de 1963, com capacidade para 19 mil torcedores. Abaixo, eu, a Mari, o Gui e o Jão, em frente ao estádio.

allboys

A dica é chegar mais cedo, comprar o ingresso e enquanto espera a hora do jogo, comer uma pizza ali nas redondezas do estádio.

Naquele jogo, que fomos assistir, foi inaugurada uma nova seção da arquibancada. Ali, no canto inferior direito tem um pedacinho do cabelo da Mari e da minha cabeça.

jogo do all boys

Não me pergunte como, mas conseguimos perder a maior parte das fotos que fizemos daquele jogo…

Foi sem dúvida uma experiência única, já que ficamos bem no meio da barra, e participamos das 2 avalanches dos gols. Que gols? Veja aí como foi o jogo:

O estádio estava bem cheio aquele dia. E posso dizer que lembrou muito os jogos do Santo André, de antigamente, quando levávamos 7, 8, até 10 mil pessoas em jogos da segunda divisão. Vale lembrar que o all Boys também estava na segunda divisão, nesse momento. 

Pra quem nunca foi, entender, no meio da arquibancada estava a barra do time, e o mais curioso é que na lateral da arquibancada ficam as famílias, 2, 3 gerações de torcedores do time do bairro.

O site oficial do time é o www.caallboys.com.ar/ , mas está em manutenção, assim fica a dica do site feito pela torcida:  www.albocapo.com.ar/

Pra quem for para Buenos Aires, eu recomendo uma passadinha pelo Barrio de Floresta e ao menos uma visita ao Estádio Islas Malvinas, onde fomos muito bem recebidos. Para terminar, uma olhadinha na arquibancada pelos olhos do torcedor Albo:

Abraços!