Rolê em Buenos Aires – parte 1: “Vuelve a casa…”

Para nós, a idéia de “ir para Buenos Aires” já não faz mais sentido. Já há algum tempo, tratamos a viagem como “Voltar para Buenos Aires”.

Reencontrar amigos, lugares e sensações que nos fazem compreender cada dia mais nosso espiríto latino.

Pela 4a vez, ficamos no “Brisas del Mar”, um hotel residencial, em San Telmo, próximo do metrô, ponto de ônibus, mercearia, supermercado, quioscos…

Foi um rolê bastante boleiro, mas não deixamos de apreciar as demais facetas da cultura local. A começar pelo Tango portenho…

Também dedicamos uma boa parte do tempo ao punk rock Argentino. Dessa vez, a grata surpresa foi a possibilidade de estar no ensaio do Tango 14, banda Punk/Oi! que mistura a realidade do dia a dia suburbano portenho às emoções do futebol, com um certo teor alcoólico cervejeiro.

Resumindo: Os caras são gente boa pra caramba e o som divertidíssimo!

Dá pra ouvir um pouco do som dos caras pelo myspace: http://www.myspace.com/tangocatorce

As antigas amizades mantém sua força, por isso sempre agradecemos “El Maluko” Martin, hincha do River, um dos maiores conhecedores do punk latino e também do futebol!

Na hora de comer havia sempre a dúvida: Gastar e comer muito bem, ou economizar e comprar mais camisas de times?

Sem esquecer que eu, a Mari e o Gabriel somos vegetarianos (só o Gui ainda come carne).

Assim, revezávamos entre restaurantes de bairro, Burguer King (onde existe uma fantástica opção vegetariana), lanches em mercearias e até restaurantes “duvidosos”.

Na foto abaixo, estamos num restaurante “Chino”, no esquema “Pague para entrar e coma para sair”.

Ah, as largas ruas de Buenos Aires…

E a arquitetura diferenciada, encontrada não só no micro centro, mas também nos bairros. (Que cara é essa Gui?)

E como falar em Buenos Aires, sem lembrar das “Cabinas”, e dos “Quioscos”…

Momento terror cultural no cemitério da Recoleta (é coisa de turista, mas é divertido!):

Coisas estranhas para se fazer quando se está viajando… Acariciar um burro, por exemplo:

O Zôo de Buenos Aires é um passeio interessante (ainda que seja uma prisão como todos os demais zôos do mundo…), fica na parte mais chique, quase chegando no Estádio do River.

E teve a hora de lembrar de casa. Aqui, os Cosmopolenses apresentam seus times em plena Casa Rosada (Mari com a camisa do Cosmopolitano e Gabriel com a camisa da Funilense):

E o Gui representou a do Ramalhão!

Andar 20 km por dia, durante mais de uma semana faz você ter momentos como esse…

Grandes prédios, grandes coturnos…

E claro, grandes lugares, aqui, El Caminito, que fica a 3 quadras da Bombonera!

Ainda ali perto, Gabriel esfrega os óculos, para ver acreditar que não era o porto de Santos.

Coisas estranhas que se vendem assim, numa loja de rua, como se fosse mais um brinquedo…

Mais amigos. Mais que amigos. Nossa família portenha, nuestro hermano Hugo e a pequena Augustina, curtindo um colo da tia Mari!

Cresceu, hein menina?

Tio Gui tentando ensinar o hino do Santo André…

Punk Rock no berço! Aproveitamos para “devorarmos” o DVD do Doble Fuerza (Otra vuelta de Cerveza), banda em que o Hugo (papai da Augustina) canta:

Ao fundo, o Hugo encomendava nossa pizza…

Pra fechar, todos unidos!

Bom, pra gente não perder tempo, paro por aqui e continuo em breve…

Anúncios

The URI to TrackBack this entry is: https://asmilcamisas.wordpress.com/2010/03/06/role-em-buenos-aires-parte-1-vuelve-a-casa/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: